Technical interoperability among EHR systems in Brazilian public health organizations

  • Aline da Cruz Rodrigues Souza Universidade Federal Fluminense
  • Adriana Pereira de Medeiros Universidade Federal Fluminense
  • Carlos Bazilio Martins

Resumo

Permitir a troca de informações e a cooperação entre sistemas distribuídos e heterogêneos é importante no campo da eSaúde. O desenvolvimento de padrões de interoperabilidade e uma abordagem baseada no Registro Eletrônico de Saúde (RES) levaram a uma evolução significativa neste campo. No entanto, ainda não foi possível encontrar soluções de interoperabilidade técnica entre os sistemas RES para organizações públicas de saúde no Brasil. Nos últimos anos, muitos pesquisadores enfrentaram o problema de interoperabilidade e forneceram soluções, como modelos de interoperabilidade ou arquiteturas, baseadas em diferentes padrões e tecnologias. Este trabalho apresenta um estudo das principais arquiteturas propostas na literatura e seleciona uma delas, usando o método AHP, para apoiar a interoperabilidade técnica entre sistemas RES em organizações públicas de saúde brasileiras. A arquitetura foi selecionada de acordo com o cenário atual de eSaúde no Brasil e em conformidade com a legislação brasileira. Um cenário de uso também é apresentado para demonstrar a viabilidade da aplicação dessa arquitetura no contexto das organizações públicas de saúde brasileiras. Essa aplicação permite fornecer interoperabilidade técnica entre sistemas RES isolados que atualmente operam em organizações de sáúde e o compartilhamento de RES entre eles. Também mostra que a arquitetura é genérica o suficiente para ser adotada por diversas cidades e flexível a mudanças, o que permite adaptá-la para reduzir custos, viabilizando seu uso no Brasil.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2019-05-22
Como Citar
[1]
Souza, A., Medeiros, A. e Martins, C. 2019. Technical interoperability among EHR systems in Brazilian public health organizations. Revista Brasileira de Computação Aplicada. 11, 2 (maio 2019), 42-55. DOI:https://doi.org/10.5335/rbca.v11i2.8651.
Seção
Artigo Original
Share |