Modelo de negócio para saúde colaborativa usando smart contracts: caso TokenHealth

Palavras-chave: Blockchains, contratos inteligentes, saúde, Ethereum

Resumo

Após a introdução do Bitcoin, a tecnologia de \textit{blockchain} evoluiu como uma solução para fornecer integridade, não repúdio e disponibilidade de dados para diferentes sistemas. Cenários sensíveis a dados, como Health Care, também podem se beneficiar dessas propriedades da blockchain. Assim, diferentes propostas, tanto da Academia quanto da Indústria, foram implantadas para permitir a adoção de blockchain em aplicativos de assistência médica. No entanto, existem poucas discussões sobre métodos de incentivo para ajudar a motivar novos usuários a adotar sistemas de saúde. Além disso, pouco se discute sobre o desempenho para executar códigos em blockchains públicos e privados. Para resolver esses problemas, este trabalho apresenta uma avaliação do TokenHealth, um aplicativo para monitoramento colaborativo de práticas de saúde com gamificação e incentivos baseados em tokens, em diferentes redes da Ethereum. A solução proposta é implementada por meio de smart contracts usando a linguagem Solidity e executada em máquinas virtuais da Ethereum (EVM). Avaliamos o desempenho da rede de teste Ropsten e de uma instância privada da Ethereum. Os resultados preliminares mostram que a execução de smart contracts leva menos de um minuto para um ciclo completo de diferentes smart contracts. Além disso, apresentamos uma discussão sobre os custos do uso de uma instância privada e da rede principal pública do Ethereum.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-04-02
Como Citar
[1]
Branco, V., Lippert, B., Lunardi, R., Nunes, H., Neu, C., Zorzo, A., Pirolla, D., Bernucio, R. e Spacov, S. 2020. Modelo de negócio para saúde colaborativa usando smart contracts: caso TokenHealth. Revista Brasileira de Computação Aplicada. 12, 1 (abr. 2020), 134-144. DOI:https://doi.org/10.5335/rbca.v12i1.10752.
Seção
Artigos selecionados em Conferências - XVII ERRC (2019)
Share |