O CAMPO DE PRODUÇÃO IDEOLÓGICA: POSSÍVEIS USOS PARA COMPREENDER O CONFLITO DA LUTA PELA TERRA OCORRIDO NA PRAÇA DA MATRIZ, PORTO ALEGRE EM 1990

  • Deise Formolo
Palavras-chave: Campo de produção ideológica, Fotografia, Memória visual

Resumo

Este artigo se baseia no conceito de “campo de produção ideológica” para a compreensão da construção da memória visual do acontecimento da luta pela terra ocorrido na Praça da Matriz, em Porto Alegre, no dia oito de agosto de 1990, em que soldados da Brigada Militar e militantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra entraram em embate no centro de Porto Alegre, Rio Grande do Sul. A partir deste conceito, analisa-se as fotografias propriamente ditas, na edição no dia dez de agosto de 1990 do jornal Zero Hora e na edição de agosto de 1990 do Jornal do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Rio Grande do Sul. Identifica-se que a ação desenvolvida pelos militantes do Movimento rompeu com o esperado em um ato político. Assinala-se que os profissionais dos dois jornais possuem uma percepção semelhante do acontecimento por partilharem os valores presentes do campo jornalístico, nesse sentido, ainda que com discursos diferentes, com a tentativa da imparcialidade do Jornal em oposição à criminalização direta do ato viabilizada pelo jornal Zero Hora, nota-se o exíguo espaço em ambos veículos para o Movimento colocar sua argumentação.
Publicado
2018-05-28