O POTENCIAL INFORMATIVO DOS DADOS DO CADASTRO NACIONAL DE SÍTIOS ARQUEOLÓGICOS ATRAVÉS DO USO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS

Luiz Paulo de Moura Fragomeni, Tatiane Bonfanti

Resumo


O objetivo do trabalho é avaliar o potencial informativo proporcionado pela utilização de Sistemas de Informações Geográficas no tratamento de dados com informação espacial do Cadastro Nacional de Sítios Arqueológicos disponibilizado a partir de agosto de 2016 pelo Instituto Nacional do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. Para testar a potencialidade da utilização dos Sistemas de Informações Geográficas na análise de dados arqueológicos, foi desenvolvida uma aplicação em ArcGis para a região do Planalto Meridional do Rio Grande do Sul utilizando o arquivo no formato shapefile do Cadastro Nacional de Sítios Arqueológicos. O arquivo contém mais de 12.000 registros de sítios arqueológicos distribuídos em todo o Brasil, sendo que o recorte para a área do Planalto Meridional do Rio Grande do Sul resultou em 597 sítios. Destes, 426 tem a informação da tradição arqueológica expressa: Caçador-coletor (22, 5,16%), Umbu (2, 0,48%), Humaitá (34, 7,98%), Tupiguarani (68, 15,96%) e Taquara (300, 70,42%). Os sítios da tradição arqueológica Tupiguarani predominam nas planícies de inundação (29, 47,54%) seguido pela meia encosta (18, 29,51%), e os sítios da tradição arqueológica Taquara predominam na meia encosta (189, 64,51%) seguida pelas áreas de topo (82, 27,99%).

Palavras-chave


Análise espacial em arqueologia; Modelos analíticos e preditivos em arqueologia; Dados arqueológicos no Planalto Meridional do Rio Grande do Sul

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.