A QUESTÃO DA ESCRAVIDÃO NAS ÁREAS DE IMIGRAÇÃO ALEMÃ DO RIO GRANDE DO SUL: RELAÇÕES INTERÉTNICAS, FONTES DOCUMENTAIS E DISCURSOS LAUDATÓRIOS

  • Rodrigo Luis dos Santos
Palavras-chave: Escravidão, Imigração, Relações Interétnicas, Discursos, Documentos

Resumo

Neste artigo buscamos integrar três aspectos, tendo como ponto de partida a historiografia que trata das relações entre escravos e imigrantes no Rio Grande do Sul do século XIX: as relações interétnicas, o uso das fontes documentais e os discursos laudatórios que perpassam ainda o senso comum. A partir destes três elementos, buscamos evidenciar como as fontes documentais tem permitindo visualizar outras configurações historiográficas no tocante das relações interétnicas, o que, por sua vez, podem contribuir para uma mudança nos discursos laudatórios ainda presentes na abordagem dos estudos étnicos e das migrações, tanto históricas quanto contemporâneas.Ao mesmo tempo, é importante perceber a complexidade e a estrutura multifacetada da sociedade oitocentista, sobretudo envolvendo imigrantes europeus, e no nosso caso de estudo, alemães, e os negros escravizados pelo regime vigente no Brasil por quase quatro séculos. Essa compreensão do passado permite vislumbrar os desdobramentos ainda percebidos no tempo presente, especialmente direcionados para as migrações recentes, onde a maior parte da população é negra, oriundas de países como Haiti e Senegal. Como recorte especial, escolhemos a Colônia Alemã de São Leopoldo, posteriormente elevada à categoria de vila (1846) e município autônomo, a partir de 1864.
Publicado
2018-05-28