A IMPRENSA A SERVIÇO DO PROJETO DE RESTAURAÇÃO DA IGREJA CATÓLICA (1871) E DA IMPLANTAÇÃO DA COLÔNIA PORTO NOVO (1926)

Maikel Gustavo Schneider

Resumo


A presente escrita objetiva, inicialmente, elucidar sobre o uso da imprensa como instrumento do Projeto de Restauração da Igreja Católica, visando proteger os valores e a tradição católica, além de afastar seus fiéis das leituras consideradas “nefastas”. Em seguida, demonstrar que os padres Jesuítas tiveram atuação destacada nesse processo, principalmente no Sul do Brasil, ao organizar e dirigir jornais, almanaques, revistas e folhetins específicos para os alemães católicos. As publicações estavam alinhadas aos preceitos do projeto da Igreja e objetivavam informar, doutrinar e divulgar as obras e empreendimento que contavam com o apoio do clero católico. Nesse ínterim, apresenta-se como os Inacianos valeram-se da imprensa a fim de divulgarem sua principal e sonhada obra: a colônia Porto Novo - atualmente municípios de Itapiranga/SC, São João do Oeste/SC e Tunápolis/SC, fundada em 1926, especificamente para abrigar alemães católicos em torno de uma comunidade orante e alinhada aos ideais da Igreja. Assim, os jornais e revistas influenciados pelos religiosos divulgam textos e informações a fim de atrair os colonos para a nova colônia, garantindo o capital humano que a congregação necessitava para trabalhar.

 

 

 

Palavras-chave: Imprensa, Restauração Católica, Jesuítas, projeto Porto Novo.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.