O ANARQUISMO SEM ADJETIVOS: A TRAJETÓRIA LIBERTÁRIA DE ANGELO BANDONI ENTRE PROPAGANDA E EDUCAÇÃO

Bruno Corrêa de Sá e Benevides

Resumo


Este trabalho trata da reconstrução biográfica do anarquista italiano Angelo Bandoni, que viveu no Brasil no período compreendido entre 1900 e 1944. Responsável por editar alguns periódicos que atingiram notoriedade entre o operariado, sobretudo nas cidades de São Paulo e Rio Janeiro, Bandoni também ficou reconhecido por organizar uma das primeiras experiências de escola no país atravessada por concepções libertárias. Apesar de sua forte tendência antiorganizacional, busca-se compreender a sua ação enquanto militante para além das vertentes do anarquismo (individualista ou as associativas), evitando a sua classificação de maneira rígida, inexorável e até mesmo teleológica dentro do movimento libertário. Com base nessa perspectiva, acredita-se que a melhor descrição de Angelo Bandoni seja a de um “anarquista sem adjetivos”, na medida em que ele mesmo não definiu rigorosamente a sua posição dentro do anarquismo. Com base em documentos pessoais, folhetos e uma vasta publicação tipográfica da qual Bandoni foi o editor-chefe, pretende-se não apenas remontar os acontecimentos cotidianos da vida desse militante, mas reconstruir, através da micro-história, a trajetória desse personagem dentro do movimento operário brasileiro, ressaltando suas convicções pessoais acerca da conjuntura política a qual a classe trabalhadora estava inserida e procurando demonstrar como seus textos foram capazes de contribuir na propagação de ideais libertários e na emancipação proletária.

 

 


Palavras-chave: anarquismo; Angelo Bandoni; biografia;


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.