O EXÉRCITO BRASILEIRO NO SUDOESTE DO PARANÁ (1943 – 1974): AÇÕES MILITARES NO CONFLITO AGRÁRIO DE OCUPAÇÃO E COLONIZAÇÃO

Ronaldo Zatta, Ismael Antônio Vannini

Resumo


O objetivo deste estudo é analisar a participação do Exército Brasileiro no conflito agrário de ocupação e colonização no Sudoeste do Paraná, no período de 1943 a 1974. A região foi palco de uma complexa luta pela posse das terras, uma disputa litigiosa que evoluiu para um sangrento embate armado. Um descompasso dos governos federal e estadual iniciou o embargo das glebas de terras. Logo, a criação de uma colônia agrícola por um decreto do então presidente Getúlio Vargas, assentou famílias de pequenos agricultores provenientes da região sul do país. Nesta conjuntura, as glebas de terras foram vendidas a uma companhia de colonização, que ao tomar posse entrou em conflito com os posseiros já instalados, desencadeando um conflito agrário. O palco do embate era de caráter regional, no entanto, as dimensões se desdobravam no âmbito politico estadual e federal. Pela análise bibliográfica do episódio, vinculada à apreciação de documentos oficiais do Exército, pode-se apurar que a belicosidade das ações durante a primeira metade da década de 1950, fez-se necessária a presença das forças armadas, quando em 1954 um destacamento do Exército Brasileiro foi instalado na região. O embate culminou em grande revolta dos posseiros, ocorrida em 1957, onde a participação das forças armadas, ao que tudo indica, atuando de forma inédita na sua história, a favor dos posseiros, foi determinante para o fim do conflito. Com o fim do embate, o Exército atuou realizando as medições de terras e garantindo a titulação das mesmas até 1974.

 

 

 


Palavras-chave: Conflito; Exército; Posseiros; Revolta.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.