A MORTE VIVA E O PASSADO PRESENTE: OXIMOROS DE UMA PROBLEMÁTICA DA MEMÓRIA

  • Bruno Sanches Mariante Silva

Resumo

Espera-se no presente texto refletir sobre a relação com a morte tomando em perspectiva a grande demanda de memória que há contemporaneamente e como o medo do esquecimento promove a exaltação do passado. Quer-se analisar as implicações para a História e o ofício do historiador, mas, sobretudo, os efeitos sociais de tamanho apelo ao passado e à memória. Como objeto para reflexão propõe-se também os cemitérios, pois estes são considerados lugares de memória por excelência; nos quais o dever de lembrar quem foram aquelas pessoas lá sepultadas se impõe majoritariamente. Contudo, a reflexão dar-se-á de modo a entender quais os sentidos que morte, memória e esquecimento assumem em uma sociedade pós-moderna e extremamente veloz em suas relações.   Palavras-chave: presentismo; memória; morte;

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2015-08-26
Como Citar
Sanches Mariante Silva, B. (2015). A MORTE VIVA E O PASSADO PRESENTE: OXIMOROS DE UMA PROBLEMÁTICA DA MEMÓRIA. Semina - Revista Dos Pós-Graduandos Em História Da UPF, 14(1). Recuperado de http://seer.upf.br/index.php/ph/article/view/5308