A formação da classe operária agroindustrial no Alto Vale do Rio Uruguai (1967-1987)

  • Douglas Orestes Franzen

Resumo

RESUMO:  Buscamos  compreender  os  aspectos  relevantes  na  formação  da  classe operária da agroindústria de Itapiranga/SC, no período de 1967 a 1988. Os camponeses que  passaram  a  ser  operários  adotaram  novos  padrões  de  vida  e  trabalho,  mesmo guardando  no  subjetivo  uma  memória  camponesa.  A  corporeidade  e  a  subjetividade subordinadas  ao  ritmo  de  trabalho  e  da  divisão  do  trabalho  afetaram  o  cotidiano  dos trabalhadores  e  a  etnicidade,  a  cultura  paternalista  e  religiosa  da  população  local influenciaram nos processos de trabalho no interior da fábrica, refletindo nas relações de poder e na condição de subordinação do trabalhadores perante o sistema de produção da fábrica.  A  conjuntura  de  lutas  operárias  sindicais  da  década  de  1980  teve  reflexo  na região, através do Partido dos Trabalhadores e da postura social da Diocese de Chapecó. O  sindicato  sofreu  forte  influência  dos  interesses  da  agroindústria  no  seu  processo  de fundação.  Assim,  acreditamos  que  a  consciência  de  classe  dos  operários  nasceu deficitária, tanto é que, o sindicato era visto pelo caráter assistencialista.  Palavras-chave: agroindústria, operários, classe social.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2013-11-20
Seção
Artigos Livres