Antecedentes da lei do divórcio

o conteúdo veiculado nas páginas da Revista Manchete em 1975

Palavras-chave: Direitos femininos, Lei do divórcio, Revista Manchete

Resumo

O presente artigo tem como objetivo analisar de que forma a revista Manchete (1952-2000) apresentou os debates que antecederam a lei do divórcio (1977) no Brasil. Considerando a popularidade e a intensidade de circulação da mesma, elegeu-se para este trabalho 12 edições que compreendem o período que vai de 4 de janeiro de 1975 (edição 1185) a 24 de maio de 1975 (edição1205). Deste modo, para a análise, utilizar-se-á da metodologia da Análise de Conteúdo, proposta por Laurence Bardin (1977), concomitante as recomendações feitas por Moraes (1999) e Zicman (1985). Os resultados indicam, portanto, que os conteúdos veiculados nas reportagens estiveram relacionados direta (através de debates políticos antidivorcistas e divorcistas) e indiretamente (por meio dos questionamentos levantados pelo mundo acerca dos direitos femininos).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ABREU, Alzira Alves. A imprensa em transição: o jornalismo brasileiro nos anos 50. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2008.

ALMEIDA, MARIA ISABEL DE MOURA. Rompendo os vínculos, os caminhos do divórcio no Brasil: 1951-1977. 188f. Tese (doutorado em História) - Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2010.

BATISTELLA, Alessandro. A ditadura militar e o bipartidarismo: casuísmos e simulacro de democracia. In GRIJÓ, Luiz Alberto; DOMINGOS, Charles Sidarta Machado;
BURKE, Peter. O que é história cultural? Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2005.
CARVALHO, Maristela Moreira. Sexualidade, controle e constituição de sujeitos: a voz da oficialidade da Igreja Católica (1960-1980). Esboços, 2008.

DE LUCA, Tânia Regina. História dos, nos e por meio dos periódicos. In: PINSKY, Carla Bassanezi (org.). Fontes Históricas. São Paulo: Contexto, 2005.

DEL PRIORE, Mary. Sobreviventes e guerreiras: uma breve história da mulher no Brasil de 1500 a 2000. São Paulo: Planeta, 2020.

FÁVERI, Marlene De. Desquite e divórcio: a polêmica e as repercussões na imprensa (2007). Caderno Espaço Feminino, v. 17, n. 1, jan/ jul, 2007.

___________________ “O mundo é das mulheres” - Heloneida Studart e o feminismo da revista Manchete. Revista Ártemis. Santa Catarina, UFSC, v. 18, n.1; jul-dez, 2014.

HEINSFELD, Adelar. Sob a inspiração de Clio: uma introdução ao estudo da História. 2ª ed. São Paulo: DPP Editora; Passo Fundo: PPGH/UPF, 2013.

MORAES, Roque. Análise de Conteúdo. Revista Educação. Porto Alegre, v.22, n. 37, p.7-32, 1999.

NAPOLITANO, Marcos. 1964: História do Regime Militar Brasileiro. São Paulo: Contexto, 2014.

NASCIMENTO, Greyce Falcão do. “Aconteceu: Virou Manchete”: O golpe de 1964 e o governo Castelo Branco nas páginas da revista. 143f. Dissertação (mestrado em História) – Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal de Pernambuco, 2015.
_________________. O feminismo de “Segunda Onda”: corpo, prazer e trabalho. In: Nova História das Mulheres. São Paulo: Contexto, 2012, p. 238-259.

PEDRO, Joana Maria. Narrativas fundadoras do feminismo: poderes e conflitos (1970-1978). Revista Brasileira de História, v. 26, n. 52, 2006.

MOTTA, Rodrigo Patto Sá. Introdução à história dos partidos políticos brasileiros. 2. Ed. Belo Horizonte: UFMG, 2008.

ZICMAN, Renée Barata. História através da imprensa: algumas considerações metodológicas. In: Projeto História. São Paulo, v. 4, p. 89- 102, jun, 1985.
Publicado
2021-08-25
Como Citar
Quissini, L. (2021). Antecedentes da lei do divórcio. Semina - Revista Dos Pós-Graduandos Em História Da UPF, 20(2), 125 - 150. https://doi.org/10.5335/srph.v20i2.12496