Estudo sobre a conservação do patrimônio histórico no Cemitério Vera Cruz, Passo Fundo/RS

  • Ana Carolina Lorenzet Galvan Universidade de Passo Fundo, Brasil
Palavras-chave: Arte funerária., Cemitério Vera Cruz., Patrimônio

Resumo

Este artigo tem como objetivo discutir a preservação patrimonial e as intervenções no espaço cemiterial, tomando como campo de estudo o Cemitério Vera Cruz, de Passo Fundo/RS, compreendido como museu a céu aberto. Ao optar por um diálogo entre História, Arte e Patrimônio, foram catalogados túmulos e tipologias funerárias, tendo sido elencados os mais expressivos conforme critérios determinados no decorrer da pesquisa, a fim de contextualizar as representações simbólicas e alegóricas presentes no cemitério. Discute-se ainda as possibilidades de intervenção no espaço cemiterial, problematizando as ações de terceiros nos túmulos e a implicação destas no patrimônio funerário e em seu conjunto simbólico e representativo. Assim, percebe-se que a intervenção, se realizada em consonância com a pesquisa histórica, auxilia na preservação e valorização patrimonial.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BELLOMO, Harry Rodrigues. A arte funerária. In: BELLOMO, Harry Rodrigues (Org.). Cemitérios do Rio Grande do Sul: arte, sociedade, ideologia. 2. ed. rev. e ampl. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2008. Páginas 13-22.

______. A produção da estatuária funerária no Rio Grande do Sul. In: ______. Cemitérios do Rio Grande do Sul: arte, sociedade, ideologia. 2. ed. rev. e ampl. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2008b. Páginas 23-38.

______. As origens da arte funerária. In: ______. Cemitérios do Rio Grande do Sul: arte, sociedade, ideologia. 2. ed. rev. e ampl. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2008c. Páginas 39-60.

BORGES, Maria Elizia. Arte funerária no Brasil (1890-1930): ofício de marmoristas italianos em Ribeirão Preto / Funerary Art in Brazil (1890-1930): Italian Marble Carver Craft in Ribeirão Preto. Tradução: Ana Paula Caiado Machado. Belo Horizonte: C/Arte, 2002.

______. Arte funerária no Brasil: contribuições para a historiografia da arte brasileira. XXII Colóquio Brasileiro de História da Arte. 2002b. 20 p.

______; CARNEIRO, Maristela. A estatuária funerária no Brasil: um olhar indagador sobre as imagens de Jesus Cristo nos cemitérios brasileiros. Revista Brasileira de História das Religiões, v. 9, n. 27, p. 151-170, jan./abril, 2017

CANDAU, Jöel. Memória e identidade. São Paulo: Contexto, 2012.

CARNEIRO, Maristela. "Quando o silêncio se rompe": Cemitério Municipal São José, Ponta Grossa (1881-2007). Revista Tempo, Espaço e Linguagem (TEL). v. 1, n. 1, p. 167-177, jan./jul. 2010.

CARVALHO, Djiovan et al. Cultura, memória e história em foco: “Cemitério Vera Cruz: Museu a Céu Aberto”. In: MIRANDA, Fernando; ZANOTTO, Gizele (Org.). A morte não é o fim: culturas e identidades no cemitério Vera Cruz. Passo Fundo: Projeto Passo Fundo, 2018. Páginas 275-285.

______; GASPAR, Waleska. Memória, História, Política e Patrimônio: Cemitério Vera Cruz, um museu a céu aberto. IN: ZANOTTO, Gizele (Org.). Anais do V Simpósio do GT História das Religiões e Religiosidades Regional Sul (Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul) - ANPUH. ISSN 2359-6996. Universidade de Passo Fundo. Passo Fundo/RS. 2017. Páginas 161-172.

CARVALHO, Luiza Fabiana Neitzke de. História e arte funerária dos cemitérios São José I e II em Porto Alegre (1888-2014). Tese (Doutorado em Artes Visuais, ênfase em História, Teoria e Crítica de Arte). Instituto de Artes. Universidade Federal do Rio Grande do Sul. 2015.

CASTRIOTA, Leonardo Barci. Intervenções sobre o patrimônio urbano: modelos e perspectivas. Fórum Patrimônio: ambiente construído e patrimônio sustentável, v. 1, n. 1, Belo Horizonte, set./dez. 2007.

CASTRO, Elisiana Trilha. Cemitérios, nosso patrimônio nacional: a ação do IPHAN com relação ao patrimônio brasileiro. In: Anais do III Encontro nacional da ABEC, 2010, Piracicaba. Disponível em: https://elisianacastro.files.wordpress.com/2009/06/artigo-elisiana-abec-2010-patrimonio-funerario-iphan.pdf.

______. Aqui também jaz um patrimônio: identidade, memória e preservação patrimonial a partir do tombamento de um cemitério (o caso do Cemitério do Imigrante de Joinville/SC, 1962-2008). Dissertação (Mestrado em Urbanismo, História e Arquitetura da Cidade). Centro Tecnológico. Universidade Federal de Santa Catarina. 2008.

CATROGA, Fernando. Memória, história e historiografia. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2015. 94 p.

CHOAY, Françoise. A alegoria do patrimônio. 4. ed. São Paulo: Estação Liberdade: UNESP, 2006.

DALMÁZ, Mateus. Símbolos e seus significados na arte funerária cristã do Rio Grande do Sul. In: ______. Cemitérios do Rio Grande do Sul: arte, sociedade, ideologia. 2. ed. rev. e ampl. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2008. 2. ed. rev. e ampl. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2008. Páginas 97-112.

FERREIRA, Mariluci Melo; SIQUEIRA, Rosimar Serena. O contexto econômico e político de Passo Fundo do século XIX à década de 1930. In: DIEHL, Astor Antônio. Passo Fundo: uma história, várias questões. Passo Fundo: EDIUPF, 1998. Páginas 63-87.

HARTOG, François. Tempo e Patrimônio. Varia Historia. Belo Horizonte, v. 22, n. 36, p. 261-273, jul./dez. 2006.

KNACK, Eduardo Roberto Jordão. Cemitérios e modernização urbana. In: ______. A morte não é o fim: culturas e identidades no Cemitério Vera Cruz. Passo Fundo: Projeto Passo Fundo, 2018. Páginas 53-65.

______. Patrimônio histórico e transformações sociais em Passo Fundo. In: BATISTELLA, Alessandro (org.). Patrimônio, memória e poder: reflexões sobre patrimônio histórico-cultural em Passo Fundo. Passo Fundo: Méritos, 2011. Páginas 13-37.

LEITE, Daniel Teixeira Meirelles. Alegorias nos cemitérios do Rio Grande do Sul. In: ______. Cemitérios do Rio Grande do Sul: arte, sociedade, ideologia. 2. ed. rev. e ampl. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2008. 2. ed. rev. e ampl. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2008. Páginas 113-122.

MOTTA, Antonio. Estilos mortuários e modos de sociabilidade em cemitérios brasileiros oitocentistas. Horizontes Antropológicos. Porto Alegre, ano 16, n. 33, p. 55-80, jan./jun. 2010.

OLIVEIRA, Áxsel Batistella de; SILVA, Caroline da; GASPAR, Waleska. “Regulando as mortes”: os cemitérios e os sepultamentos nos códigos de posturas municipais de Passo Fundo (1884-1950). In: ______. A morte não é o fim: culturas e identidades no Cemitério Vera Cruz. Passo Fundo: Projeto Passo Fundo, 2018. Páginas 81-89.

REIS, João José. A morte é uma festa: ritos fúnebres e revolta popular no Brasil do século XIX. São Paulo: Companhia das Letras, 1991.

VAZ, Raquel Maria Filipe Álvares Guedes. Património: intervir ou interferir? Sta. Marinha da Costa e Sta. Maria do Bouro. Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra. Departamento de Arquitetura. Coimbra. 2009.

WICKERT, Ana Paula. Patrimônio ferroviário em Passo Fundo: do apogeu ao abandono In: BATISTELLA, Alessandro (org.). Patrimônio, memória e poder: reflexões sobre patrimônio histórico-cultural em Passo Fundo. Passo Fundo: Méritos, 2011. Páginas 39-74.

ZANOTTO, Gizele. Espaços cemiteriais em evidência: de lugar de lembrança a local de conhecimento. In: ZANOTTO, Gizele (org.); MACHADO, Ironita Policarpo (org.). Momento Patrimônio: volume III. Erechim: Graffoluz, 2015. Coleção Memória e Cultura – NEMEC. Páginas 31-47.
Publicado
2020-12-01
Como Citar
Lorenzet Galvan, A. (2020). Estudo sobre a conservação do patrimônio histórico no Cemitério Vera Cruz, Passo Fundo/RS. Semina - Revista Dos Pós-Graduandos Em História Da UPF, 19(3), 201-215. Recuperado de http://seer.upf.br/index.php/ph/article/view/11562