Trans-formando a arqueologia brasileira: (re)visitando a amazônia indígena, Santa Elina, Serra da Capivara e Lagoa Santa de Luzia

  • Rosalvo Ivarra Ortiz Mestrando em Geografia Humana pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo
Palavras-chave: Arqueologia, principais sítios, revisão, interpretação, Brasil

Resumo

Nas últimas décadas, sobretudo, posterior ao século XXI, inúmeros novos dados foram acrescentados a já conhecida embate arqueológica acerca da primeira ocupação da espécie humana nas Américas “Selvagens”. À vista disto, novos sítios arqueológicos foram catalogados, outros sítios estão sendo revisitados, reestruturados e ressignificados concomitantemente com novas perspectivas, assim sendo, a Arqueologia Brasileira está cada vez mais a ganhar espaço no cenário internacional, sobretudo, por propor novas datações para a primeira inserção do homo no continente. Desta forma, neste artigo pretendemos realizar uma revisão histórica e atual sobre esta problemática, isto é, mediante estudos e investigações de diversos autores/as, perpassando pela Região Amazônica, Santa Elina (MT), Serra da Capivara (PI) e Lagoa Santa (MG). Portanto, o nosso objetivo principal é facilitar a linguagem sobre este assunto, ainda bastante emblemática no pensamento arqueológico brasileiro, latino-americano e global. É por fim, cabe enfatizar que neste texto iremos trazer à tona diferentes imagens afim de situar o/a leitor/a, tais como: fragmentos cerâmicos, artes rupestres, escavações e instrumentos esqueléticos dos primeiros habitantes, homens e mulheres nativas que verdadeiramente descobriram esta terra e não os intrusos europeus, como muitos ainda os defendem na atualidade contemporânea.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AGUIAR, R. L. S. Arte Rupestre: conceitos introdutórios. Laboratório de Arqueologia, UFGD, 2012. Disponível em:
http://www.do.ufgd.edu.br/rodrigoaguiar/arterupestre.pdf. Acesso: 28/03/2020.

AGUIAR, R. L. S. Pessoas, Objetos, Tempo e Espaço: Reflexões acerca das relações entre arte rupestre e ocupação do espaço ambiental na pré-história. Artigo de pós-doutoramento em Arqueologia Pré-Histórica, Faculdade de Letras- Universidade de Coimbra, 2015.

CHAKARUNA- Abya Yala sem Fronteiras.
Disponível em: http://hernehunter.blogspot.com/2013/06/santa-elina-mato-grosso.html
Acesso: 23/03/2020.

EREMITES DE OLIVEIRA, J. Etnoarqueologia, colonialismo, patrimônio arqueológico e cemitérios Kaiowá no Estado de Mato Grosso do Sul, Brasil. Revista de Arqueologia, v. 29, p. 136-169, 2016. DOI: https://doi.org/10.24885/sab.v29i1.446.

DA-GLORIA, Pedro; NEVES, Walter Alves; HUBBE, Mark. História das pesquisas bioarqueológicas em Lagoa Santa, Minas Gerais, Brasil. Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi. Ciências Humanas, v. 12, n. 3, p. 919-936, set.-dez. 2017. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/1981. 81222017000300014.

DA-GLORIA, Pedro. Ocupação inicial das Américas sob uma perspectiva bioarqueológica. Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi. Ciências Humanas, Belém, v. 14, n. 2, p. 429-457, maio-ago. 2019.
DOI: http://dx.doi.org/10.1590/1981.81222019000200009.

FEATHERS et al. "How old is Luzia? Luminescence dating and stratigraphic integrity at Lapa Vermelha, Lagoa Santa, Brazil". Geoarchaeology 25 (4): 395–436, 2010.

GASPAR NETO, Verlan Valle; SANTOS, Ricardo Ventura. A cor dos ossos: narrativas científicas e apropriações culturais sobre “Luzia”, um crânio pré-histórico do Brasil. Mana: Estudos de Antropologia Social, Rio de Janeiro, v. 15, n. 2, p. 449-480, out. 2009. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0104-93132009000200005.

IPHAN- Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. Disponível em: http://portal.iphan.gov.br/pagina/detalhes/624/ Acesso: 23/02/2020.

NEVES, Eduardo G. Existe algo que se possa chamar de 'arqueologia brasileira'? Estudos Avançados (USP. Impresso), v. 83, p. 7-17, 2015.

NEVES, Eduardo G.; HECKENBERGER, Michael J. The Call of the Wild: Rethinking Food Production in Ancient Amazonia. Annual Review of Anthropology, v. 48, p. 371-388, 2019.

HECKENBERGER, M. J.; NEVES, E. G. Amazonian Archaeology. Annual Review of Anthropology, v. 38, p. 251-266, 2009.

LOURDEAU, Antoine. A Serra da Capivara e os primeiros povoamentos sul-americanos: uma revisão bibliográfica. Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi. Ciências Humanas, Belém, v. 14, n. 2, p. 367-398, maio-ago. 2019.
DOI: http://dx.doi.org/10.1590/1981.812 22019000200007.

SILVA, Fabíola. A. Arqueologia colaborativa com os Asurini do Xingu: Um relato sobre a pesquisa no igarapé Piranhaquara, T.I. Koatinemo. Revista de Antropologia, 2015, 58(2): 143-172. DOI: https://doi.org/10.11606/2179-0892.ra.2015.108570.

SHOCK, Myrtle Pearl; MORAES, Claide de Paula. A floresta é o domus: a importância das evidências arqueobotânicas e arqueológicas das ocupações humanas amazônicas na transição Pleistoceno/Holoceno. Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi. Ciências Humanas, Belém, v. 14, n. 2, p. 263-289, maio-ago. 2019.
DOI: http://dx.doi.org/10.1590/1981.81222019000200003.

SOUZA, S. M. et al. Revisitando a discussão sobre o Quaternário de Lagoa Santa e o povoamento das Américas: 160 anos de debates científicos. In: SILVA, H. & RODRIGUES-CARVALHO, C. Nossa Origem: o povoamento das Américas, visões multidisciplinares. Rio de Janeiro: Vieira & Lent, 2006.

TURNER, N. J.; DAVIDSON-HUNT, I. J.; O’FLAHERTY, M. Living on the edge: ecological and cultural edges as sources of diversity for social – ecological resilience. Human Ecology, Berlin, v. 31, n. 3, p. 439-461, Sept. 2003. DOI: https://doi.org/10.1023/A:1025023906459.

VILHENA VIALOU, Agueda; VIALOU, Denis. Manifestações simbólicas em Santa Elina, Mato Grosso, Brasil: representações rupestres, objetos e adornos desde o Pleistoceno ao Holoceno recente. Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi. Ciências Humanas, Belém, v. 14, n. 2, p. 343-365, maio-ago. 2019.
DOI: http://dx.doi.org/10.1590/1981.81222019000200006.
Publicado
2020-04-30
Como Citar
Ivarra Ortiz, R. (2020). Trans-formando a arqueologia brasileira: (re)visitando a amazônia indígena, Santa Elina, Serra da Capivara e Lagoa Santa de Luzia. Semina - Revista Dos Pós-Graduandos Em História Da UPF, 19(1), 58 - 95. Recuperado de http://seer.upf.br/index.php/ph/article/view/10941
Seção
Artigos Dossiê