O retorno de Fernando VII ao trono: repercussão na américa espanhola e portuguesa

  • Ronaldo Bernardino Colvero Universidade Federal do Pampa

Resumo

Em 1808, Napoleão Bonaparte, com sua política expansionista, faz acordos com o rei da Espanha Carlos IV, dizendo buscar acesso à Lisboa por seu território. A França neste período pós revolução Francesa representava uma ameaça aos Estados monarquistas. Assim que Bonaparte entra no território espanhol com suas tropas, com a permissão do rei, logo demonstra suas verdadeiras intenções de tomar toda a Península Ibérica. A Família Real portuguesa organiza-se e foge para sua colônia na América, o Brasil. Carlos IV abdica o trono em nome do filho Fernando, mas logo o trono é entregue efetivamente a Napoleão Bonaparte que o transfere a seu irmão José I. Fernando VII é mantido preso no castelo de Valençay em Bayona por seis anos, até que uma aliança anglo-hispano-lusa derrota suas tropas e, por medo de perder o território francês, Bonaparte devolve o trono pacificamente a Fernando VII através do Tratado de Valençay, assinado em 1813. Assim que retorna ao trono espanhol, Fernando VII encontra uma situação bastante diferente daquela que ele havia deixado para trás. A Espanha adotara uma Constituição liberal em seu nome. Suas colônias da América tiveram participação efetiva na constituição. A América espanhola já estava praticamente independente da Espanha. Fernando VII vai tentar reverter o processo, sem sucesso. Palavras-chave: Fernando VII; Espanha; América; Portugal; Grã-Bretanha.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2019-12-24
Como Citar
Colvero, R. (2019). O retorno de Fernando VII ao trono: repercussão na américa espanhola e portuguesa. Semina - Revista Dos Pós-Graduandos Em História Da UPF, 18(3), 102 - 115. Recuperado de http://seer.upf.br/index.php/ph/article/view/10503