O jogo das oposições e distinções: a crise nacional e suas consequências na disputa eleitoral sul-rio-grandense (1954)

  • Marcos Jovino Asturian Instituto Federal Farroupilha

Resumo

Em 1954, o PSD, a UDN e o PL formaram uma coligação – Frente Democrática (FD) – contrária a Getúlio Vargas e, em consequência, ao governo estadual petebista de Ernesto Dornelles. A crise nacional – a inflação, o atentado da rua Tonelero, os desdobramentos do respectivo inquérito e o suicídio do presidente Vargas – permeou a disputa eleitoral no Rio Grande do Sul. De um lado, os trabalhistas e a retórica da “justiça das urnas” para vingar-se dos “golpistas”. De outro, os oposicionistas acusando o próprio PTB pelo derradeiro ato de Vargas. A partir da análise da propaganda eleitoral veiculada nos jornais Correio do Povo e Diário de Notícias, este trabalho tem por objetivo compreender as narrativas produzidas pelos dois lados da contenda no jogo das oposições e distinções. Palavras-chave: Frente Democrática. Trabalhistas. Eleições no Rio Grande do Sul

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2019-12-24
Como Citar
Asturian, M. (2019). O jogo das oposições e distinções: a crise nacional e suas consequências na disputa eleitoral sul-rio-grandense (1954). Semina - Revista Dos Pós-Graduandos Em História Da UPF, 18(3), 24-65. Recuperado de http://seer.upf.br/index.php/ph/article/view/10500