Relação Sino-Americana: o papel das instituições democráticas estadunidenses na formulação da política externa estadunidense para a república popular da China

  • Thaís Simões Dória

Resumo

O presente artigo objetiva analisar o papel das instituições democráticas estadunidenses na formulação da Política Externa estadunidense (PEE) para a República Popular da China (RPC), notadamente os da mídia, da opinião pública e dos poderes Executivo e Legislativo. Para tanto, este trabalho fará a análise do papel de cada instituição em interação e isoladamente. Reconhecendo a complexidade do conceito e prática de Política Externa, este trabalho delimita-se à análise da mesma entre os anos de 1989 e 2001, quando houve dois importantes pontos de inflexão na relação sino-americana: o massacre na Praça Tiananmen (1989) e o debate em torno do título de Nação Mais Favorecida no governo Clinton (1993-2001). O artigo testará se houve continuidade na PEE para a RPC, analisando se a mesma se manteve em diferentes questões e qual foi o papel das referidas instituições. Palavras-chave: Instituições democráticas. Política Externa estadunidense. Relação sino-americana.    

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2019-11-05
Como Citar
Simões Dória, T. (2019). Relação Sino-Americana: o papel das instituições democráticas estadunidenses na formulação da política externa estadunidense para a república popular da China. Semina - Revista Dos Pós-Graduandos Em História Da UPF, 18(1), 83 - 109. Recuperado de http://seer.upf.br/index.php/ph/article/view/10177