AVALIAÇÃO DO POTENCIAL DE QUARTZO INCOLOR PARA PRASIOLITA DO DISTRITO MINEIRO DE AMETISTA DO SUL

  • Mauricio Thadeu Fenilli de Menezes
  • Lauren da Cunha Duarte
  • Pedro Luiz Juchem
  • Larissa Lanes Tononi
Palavras-chave: Soledade

Resumo

O Distrito Mineiro de Ametista do Sul no Estado do Rio Grande do Sul é famoso como um importante fornecedor de ametista, citrino e quartzo hialino. A região é responsável pelo abastecimento do mercado mundial em geodos e pedras para lapidação. Uma minoria do quartzo hialino no mundo tem potencial para obtenção da cor verde (prasiolita) após irradiação. Para avaliação do potencial de prasiolita foi calculado o fator ametista (fa) a partir de espectros FTIR obtidos no Centro Nacional de Desenvolvimento da Tecnologia Nuclear (CDTN). Foram obtidos valores de 1.13 a 1.24. indicando positivamente a obtenção da cor verde após doses de radiação maiores que 900 kGy. Os principais picos de absorbância foram identificados nas bandas 3436 cm-1, 3585 cm-1 e 3595 cm-1. O valor da banda 3436 cm-1 encontrado está relacionada às ligações AlsiOH/Na+, FeSi-OH/H+ e Si-OH (também conhecido como silanol) em quartzo e logo às causas de cor nas amostras. Os cristais foram irradiados em doses de 200 e 900 kGy obtendo-se a cor verde para todas as amostras. Não houve diferença na tonalidade de verde entre as doses de irradiação, indicando que o uso de doses maiores que 200 kGy trazem mais custos aos empreendedores e resultado inócuo. A distribuição da cor não foi homogênea em algumas poucas amostras. Não foi identificada proporcionalidade da intensidade de cor com o fator ametista (fa).

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2019-04-06
Como Citar
de Menezes, M. T., Duarte, L., Juchem, P., & Tononi, L. (2019). AVALIAÇÃO DO POTENCIAL DE QUARTZO INCOLOR PARA PRASIOLITA DO DISTRITO MINEIRO DE AMETISTA DO SUL. Revista CIATEC-UPF, 11(1), 19-26. https://doi.org/10.5335/ciatec.v11i1.9291
Seção
Artigos de Pesquisa nas Áreas de Ciências e Tecnologias