COMPARAÇÃO DO USO DE VERMICOMPOSTO E COMPOSTO COMO AGENTE DE DEGRADAÇÃO DE BIODIESEL B100

Resumo

Com o gradual aumento de consumo de combustíveis provenientes de petróleo, os impactos ao meio ambiente vêm crescendo constantemente, como gases poluentes gerados pela combustão desses combustíveis e o seu derramamento no solo. Os biocombustíveis, em seu ciclo geral, são menos poluentes e causam menores impactos ao meio ambiente. Com o intuito de acompanhar a degradação de biocombustíveis no solo, desenvolveu-se um estudo para avaliar a degradação de biodiesel B100 em contato com vermicomposto (Húmus de minhocas) e composto (resíduos de jardinagem), os materiais de biodegradação foram contaminados com diferentes percentagens de biodiesel de soja B100 e dispostos em colunas de PVC (policloreto de vinila), com estágios removíveis, confinadas por 45 dias, a cada 15 dias foram retiradas amostras e realizadas extrações do biodiesel remanescente por sistema soxhlet. Os resultados mostram que quando comparados os dois tratamentos, o vermicomposto apresentou melhor desempenho na degradação do B100 em 45 dias, na proporção de 10% de contaminação, o que demonstra que esta técnica pode ser uma alternativa a ser utilizada para uma possível biorremediação de um local contaminado por biodiesel.

Biografia do Autor

Clóvia Marozzin Mistura, Universidade de Passo Fundo/Professora Pesquisadora
Curso de Química. Instituto de Ciências Exatas e Geociências. UPF.
Publicado
2018-09-28
Como Citar
Mistura, C., Peruzzo, R., Hemerich, D., & Barão, F. (2018). COMPARAÇÃO DO USO DE VERMICOMPOSTO E COMPOSTO COMO AGENTE DE DEGRADAÇÃO DE BIODIESEL B100. Revista CIATEC-UPF, 10(2), 14-26. https://doi.org/10.5335/ciatec.v10i2.8383
Seção
Artigos de Pesquisa nas Áreas de Ciências e Tecnologias