PREVISÃO DA CAPACIDADE DE CARGA EM ESTACAS RAIZ ATRAVÉS DE MÉTODOS SEMI-EMPÍRICOS ASSOCIADOS A ANÁLISES ESTATÍSTICAS

Resumo

O presente artigo analisa a acurácia da previsão de capacidade de carga através dos métodos semi-empíricos Aoki e Velloso (1975), Decourt (1996) e Brasfond (1991), buscando uma melhor aproximação aos resultados obtidos in loco através de prova de carga dinâmica em estacas do tipo raiz realizados em uma obra de infraestrutura. O objetivo é apresentar uma metodologia que avance na qualidade da previsão do comportamento de estacas injetadas, demonstrando a eficiência dos métodos propostos através de análises estatísticas e correlações lineares, avaliando o método semi-empírico que mais se aproxima dos resultados obtido in loco. Observando que o fator da injeção com aplicação de golpe de ar se mostra decisivo no que diz respeito ao aumento da seção da estaca e capacidade de carga, devido aos índices físicos do solo adjacente. Verificou-se que o método de Decourt (1996) é o que mais se aproxima da carga de ruptura obtida in loco através de seis prova de carga dinâmica, comprovando a eficácia do método através da previsão de carga como das análises estatísticas.

Biografia do Autor

Rodrigo Rogério Silva, Universidade Nove de Julho
Professor Engenharia Civil, Universidade Nove de Julho, Departamento de Ciências Exatas. Coordenador Técnico, Geobase fundações.
Publicado
2018-10-22
Como Citar
Silva, R. (2018). PREVISÃO DA CAPACIDADE DE CARGA EM ESTACAS RAIZ ATRAVÉS DE MÉTODOS SEMI-EMPÍRICOS ASSOCIADOS A ANÁLISES ESTATÍSTICAS. Revista CIATEC-UPF, 10(2), 102-114. https://doi.org/10.5335/ciatec.v10i2.8209
Seção
Artigos de Pesquisa nas Áreas de Ciências e Tecnologias